Atelier de Traduções: traduções jurídicas, financeiras e corporativas

divider

Ética na Tradução – Responsabilidade

separator

Ética na Tradução – Responsabilidade

/ 0 Comments /

O tradutor é responsável por seu trabalho e deve reconhecer seus erros de tradução, empenhando-se em retificá-los mesmo após o trabalho ter sido concluído.

Sim, o tradutor também erra, e é por isso que é muito importante ter uma linha de comunicação aberta com o cliente para que dúvidas sejam sanadas e ambiguidades e erros sejam reduzidos a um mínimo.

É também visando minimizar erros, que o tradutor tem o dever ético de conhecer suas limitações e recusar trabalhos que excedam suas capacitações e competências linguísticas.

Um tradutor da área jurídica, provavelmente não aceitará trabalhos da área médica, a menos que tenha se especializado em ambas as áreas (o que não é o padrão). Assim, é importante que o tradutor aceite traduções apenas nos campos que possui conhecimento e expertise.

Ao aceitar um trabalho, a entrega tempestiva também é responsabilidade do tradutor, mas mais do que a entrega pontual, espera-se que o trabalho seja conduzido com o devido cuidado, tenha sido objeto de pesquisas e que o resultado final seja o desejado.

No Brasil, a responsabilidade profissional do tradutor se encontra prevista no Capítulo V dos Estatutos do Sindicato Nacional dos Tradutores (SINTRA), cuja redação é a seguinte: “Art. 7 – O tradutor é responsável civil e penalmente por atos profissionais lesivos ao interesse do contratante de seus serviços, cometidos por imperícia, imprudência, negligência ou infrações éticas”.

O SINTRA é responsável pela apuração de qualquer infração cometida e, se for o caso, pelo encaminhamento aos órgãos competentes.

Ao contratar um tradutor profissional, o cliente tem a garantia de estar contratando um especialista ciente de seus deveres éticos e do empenho necessário para atingir os mais altos padrões de precisão e contextualização linguística.

Enfatizo mais uma vez que, apesar de a profissão não ser regulamentada pelo Ministério do Trabalho, e de muitas pessoas a exercerem sem qualquer reserva, há uma lacuna enorme entre o que eu aqui chamo de “tradutor curioso” e o “tradutor profissional”.

O tradutor profissional está envolvido em constantes atualizações, está ciente de seus deveres perante o cliente, desempenha seu trabalho de acordo com padrões e normas éticas e assume todas as responsabilidades inerentes à sua profissão.

Desse modo, a qualidade da tradução está garantida. Erros, se houver, serão tempestivamente retificados. As obrigações de confidencialidade não serão quebradas. Pesquisas exaustivas serão feitas em cada trabalho recebido.

O sucesso é representado pela entrega de um trabalho irrepreensível, pela satisfação do cliente e pelo cumprimento do dever ético.

Encontre um tradutor que cumprirá todas as normas éticas, e valorize-o.

Katia Gibbs – Tradutora e Intérprete

Eline Bélier – Revisão

separator

No comments so far!

separator

Leave a Comment